Blog

Se quer realmente aprender inglês, fuja dessas armadilhas!

Se você está estudando inglês, avalie se está caindo em algumas dessas armadilhas. Elas podem desperdiçar seu tempo e até frustrá-lo, mesmo quando o fazem pensar que você está aprendendo!

 

  1. Sentar passivamente e ler promove um baixo nível de retenção. Nosso cérebro se distrai facilmente. O ideal é criar um grupo de estudos ou clube de leitura com seus amigos que também estão estudando. Se isso não for possível, procure relembrar as ideias principais sem olhar no conteúdo, fazer resumos, escrevendo com lápis ou caneta, fazendo esquemas, desenhos, ou seja, é preciso interagir com o que é lido.
  2. Assistir a séries e a vídeos no YouTube e achar que isso é suficiente para aprender inglês. É necessário ter uma intenção de aprendizagem, por exemplo:
    Anotar as palavras e expressões idiomáticas e depois criar arquivos no www.quizlet.com para estudar depois.
    Criar um grupo de debates para conversar em inglês sobre as séries e vídeos.
    Prática escrita sobre os episódios, dando sua opinião.
    Gravar vídeos fazendo resumos em inglês dos episódios. Mostrar para seu professor ou compartilhar com seus amigos que também estão estudando em um grupo de mensagens.
  3. Esperar para estudar na véspera. Você se prepararia apenas na véspera de uma maratona? Seu cérebro é como um músculo – ele pode suportar apenas uma quantidade limitada de exercícios em um assunto por vez. É preciso estudar regularmente, como doses homeopáticas e não apenas na véspera de uma avaliação. Aquisição de fluência não é ir bem nas avaliações, é muito mais complexo que isso. Você precisa ser capaz de falar em diversos contextos e isso quer dizer internalizar e automatizar todo o conteúdo gramatical e de vocabulário possível num idioma.
  4. Não tirar suas dúvidas em aula por vergonha do grupo. Se este for seu caso, pelo menos anote e pergunte depois para seu professor por mensagem escrita ou áudio. Depois, aos poucos, vá se desafiando e tentando superar sua vergonha pois o grupo todo está na mesma situação: buscando a fluência.
  5. Pensar que você pode aprender quando está distraído ou fazendo outras atividades em paralelo. Cada pequena fuga, como ver uma mensagem ou post, prestar atenção rápida na música que está tocando, significa que você tem menos capacidade cerebral para focar no aprendizado.
  6. Dormir pouco. A fadiga prolongada permite que as toxinas se acumulem no cérebro e interrompam as conexões neurais de que você precisa para pensar bem, com rapidez e assimilar o conteúdo novo.

O ato de estudar nem sempre quer dizer aprender!

 

Escrito por Lígia Crispino e publicado na coluna semanal da Exame.com. Editado para o blog da Verbify e da Companhia de Idiomas.

Compartilhar

Essa modalidade só é vendida pelo nosso atendimento. Deixe seus dados abaixo que entraremos em contato

Posso ajudar?